11 de janeiro de 2020

Motivos eficazes que nos animem a padecer

Motivo de Consolação nas Tribulações
Pe. João Pedro de Pinamonti,  S. J.
Transcrição da edição de 1939


Prólogo
“Date siceram moerentibus et vinum his qui
amaro sunt animo – Dai um licor forte aos aflitos e
vinho aos que têem o coração amargurado” (Prov. 30, 6)
Consolar ao próximo em suas tribulações, é ordem que o Senhor nos intima a todos e cuja inobservância tem Salomão por uma das maiores misérias desta vida mortal. Vi as lágrimas dos inocentes e nenhum consolador (1).
Esta consideração inspirou-me a ideia de escrever o presente livrinho, para expor nele os motivos mais eficazes que nos animem a padecer. Procurei ser breve o mais que pude, com o fim de mais facilmente se ler e passar de mão em mão. Assim como também reduzi a pouco e como que condensei, os principais motivos que a Fé nos ensina para as tribulações; deste modo, à maneira de água abundante recolhida em canal estreito, terão esses motivos mais força em nossa alma.
Para estarem mais à mão, vão distribuídos pelos dias da semana; e a oração, ao fim de cada um deles, é para implorar e obter os mais eficazes auxílios da divina graça, pois o sofrimento é aquilo a que mais repugnância sente a natureza.
Debaixo deste nome genérico de padecer, foi intenção minha incluir tudo o que se opõe às inclinações da mesma natureza; quer nos venha imediatamente de Deus, como as securas do espírito, as faltas de luzes na oração, as desolações; quer imediatamente do Demônio, como as sugestões para o mal, as angústias, os temores; quer dos nossos próximos, como são as murmurações, as calúnias, as perseguições.
Numa palavra, padecer diz tudo aquilo que ou mortifica o corpo, como a inconstância dos climas, a pobreza, o cansaço, as doenças; ou aflige o espírito, como os escrúpulos, os cuidados, as melancolias. Tudo isto compreenderei neste nome genérico; e ao passo que as pessoas espirituais verão nele principalmente o que atribula a alma, as mais imperfeitas verão principalmente o que contraria os sentidos.
Só falta que os que me lerem, não passem superficialmente a vista por estas verdades, senão que as meditem com seriedade e constância. Se pois vos aproveitardes destas considerações na devida forma, espero que chegareis a levar o sofrimento não só com paciência, mas até mesmo com alegria; e que, longe de fugir da cruz, a ireis buscar, como quem vê no padecer a coisa mais preciosa desta vida. “Bem-aventurados os que choram”, diz Cristo Senhor Nosso (2). A bem-aventurança da vida imortal está em gozar de Deus; a bem-aventurança desta vida perecedoura está em sofrer por Deus.
__________
(1) Vidi lacrymas innocentium et neminem consolatorem (Ecle. 4, 1)
(2) Beati qui lugent; quoniam ipsi consolabuntur (S. Mat. 5, 5)



Índice
Prólogo
Domingo
A necessidade do sofrimento serve de alívio na tribulação
I. Devemos sofrer, porque somos homens
II. Devemos sofrer, porque somos desterrados
III. Devemos sofre, porque somos cristãos
Oração a Jesus atribulado no Horto, para alcançar a paciência
Segunda-feira
A utilidade do sofrimento serve de alívio na tribulação
I. O sofrimento purifica a alma
II. O sofrimento ilumina-nos
III. O sofrimento aperfeiçoa-nos
Oração a Nosso Senhor açoitado à coluna, para alcançar a paciência
Terça-feira
O sofrimento, como remédio do pecado, é de alívio na tribulação
I. Cura os pecados presentes
II. Repara os danos dos pecados passados
III. Preserva das culpas futuras
Oração a Jesus coroado de espinhos, para alcançar a paciência
Quarta-feira
A lembrança do Inferno é de alívio na tribulação
I. Sofre, porque mereceste o Inferno
II. Sofre, porque foste preservado do Inferno
III. Sofre, para não tornares a merecer o Inferno
Oração a Nosso Senhor com a Cruz às costas, para alcançar a paciência
Quinta-feira
A lembrança do Céu consola a alma na tribulação
I. O sofrimento é sinal de predestinação à glória
II. O sofrimento acumula méritos para a glória
III. Os padecimentos são a medida do gozo na glória
Oração a Jesus crucificado, para alcançar a paciência
Sexta-feira
O exemplo de Jesus consola na tribulação
I. Jesus, padecendo, enobreceu os trabalhos
II. Jesus, padecendo, suavizou os trabalhos
III. Jesus, padecendo, tornou necessários os trabalhos
Oração a Jesus, desamparado na Cruz, para alcançar a paciência
Sábado
O amor de Deus consola na tribulação
I. O amor, que Deus nos têm, é origem e causa dos nossos padecimentos
II. Os nossos padecimentos são o meio para alcançarmos o amor divino
III. Os nossos padecimentos são indício de termos alcançado o amor divino
Oração à Virgem Santíssima ao pé da Cruz, para alcançar a paciência

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O SANTO DE AUSCHWITZ

Assim dizia São Maximiliano Kolbe:

"De muito boa vontade oferecemos leituras gratuitas a todos aqueles que não possam oferecer nada para esta obra, mesmo privando-se um pouco."

Qualquer quantia tem grande valor!

http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2015/12/qualquer-quantia-tem-grande-valor.html

Vocação➡Monja Redentorista

Vocação➡Monja Redentorista
Clique na imagem para obter maiores informações!

Aderindo ao clube através da imagem abaixo você também nos ajuda!

Aderindo ao clube através da imagem abaixo você também nos ajuda!
CLIQUE NA IMAGEM E FAÇA PARTE!