6 de dezembro de 2011

Respostas Irrefutáveis - Pe. Júlio Maria de Lombaerde em edições diferentes

pelo Pe. Júlio Maria de Lombaerde, S.D.N.
Livro de 1932 - 240 págs

e

Luz na Trevas
Respostas Irrefutáveis às Objeções Protestantes
pelo Pe. Júlio Maria de Lombaerde, S.D.N.
Livro de 1955 - 224 págs


INTRODUÇÃO
  A verdade é uma só porque Deus é um só.
 As mentiras e os erros abundam, é o grande mal do mundo.
 Quem se afasta da Verdade Única, cai necessariamente num dos múltiplos erros, que lhe são opostos, como aquele que se afasta do único caminho verdadeiro anda necessariamente por caminhos errados.
  'Eu sou o caminho', disse o Mestre.
  Quem não segue o Cristo, segue um dos múltiplos hereges anti-Cristos, como são: Maomé, Lutero, Allan Kardec, etc.
  O Cristo é um, os sectários, fundadores de seitas, são numerosos.
 O Apóstolo já o predisse, há cerca de 1900 anos: 'virão tempos em que os homens não suportarão a sã doutrina, mas se afastarão da verdade, para voltar-se às fábulas' (II Tim, IV, 3-4).
  Os protestantes são esses homens. Afastam-se da Verdade Única e vivem fabricando fábulas, que se chamam objeções ou protestos.
  E o mais curioso é que tais objeções são baseadas sobre a completa ignorância da Verdade ou da doutrina combatida.
  Acusam a Igreja Católica de ensinar o que não ensina; de fazer o que não faz... de professar doutrinas que não professa. Eles afirmam o que nós não negamos; e negam o que não afirmamos!
  Qual é o protestante que conhece bem a religião católica?
  Ponhamos fora uma meia dúzia de apóstatas, por vício, por pirraça, ou por amor a uma das costelas de Adão, e só encontraremos homens, ledores da Bíblia, às vezes sinceros, mas cujos conhecimentos não ultrapassam a letra que mata, sem nunca chegar ao espírito que vivifica (2Cor 3,6) [...]
  O livro não desenvolve um tema seguido; é uma série de teses independentes uma das outras, mas completas em sua exposição doutrinal.
  Todas as verdades são aqui provadas e todos os erros refutados pela autoridade da Sagrada Escritura, fonte luminosa, senão única, da verdade e da doutrina cristã.
  Possam as presentes páginas continuarem a ser semeadoras de luz e de convicção para atrair as almas aos pés d'Aquele que é a Luz de todo homem que vem a este mundo. É a única ambição do autor.
Padre Júlio Maria


~*~*~*~*~


ÍNDICE do Livro

Objeções e Erros Protestantes
com as respectivas Respostas Irrefutáveis
Aprovação
Introdução
Primeira Objeção - Extrema Unção
Segunda Objeção - A Mulher Misteriosa
Terceira Objeção - O Único Mediador
Quarta Objeção - Um só Rebanho
Quinta Objeção - A Salvação em Cristo
Sexta Objeção - A Inutilidade das Boas Obras
Sétima Objeção - O Sacerdócio Católico
Oitava Objeção - Um Feixe de Erros Protestantes
Nona Objeção - Bíblias Falsificadas
Décima Objeção - Os Dez Mandamentos
Décima Primeira Objeção - O Primeiro Mandamento
Décima Segunda Objeção - Casamento e Primogênito
Décima Terceira Objeção - Adoração de Imagens
Décima Quarta Objeção - A Adoração
Décima Quinta Objeção - A Igreja Romana
Décima Sexta Objeção - Ídolos e Bençãos


~*~*~*~

INDÍCE do Livro

Luz na Trevas
Respostas Irrefutáveis às Objeções Protestantes
Aprovação
Prolóquio
Introdução
Capítulo I – O que é um protestante?
Capítulo II – Por que os protestantes protestam?
Capítulo III – Contra que os protestantes protestam?
Capítulo IV – Como os protestantes protestam?
Capítulo V – A contradição dos protestantes protestando
Capítulo VI – Os protestos dos protestantes
Capítulo VII – Devemos orar à Virgem Maria?
Capítulo VIII – A Imaculada Conceição
Capítulo IX – Os supostos irmãos de Jesus
Capítulo X – S. Pedro era celibatário
Capítulo XI – Por que o padre não casa?
Capítulo XII – S. Pedro em Roma
Capítulo XIII – O sucessor de S.Pedro
Capítulo XIV – A Confissão
Capítulo XV – A Eucaristia
Capítulo XVI – Os sete Sacramentos
Capítulo XVII – O culto das imagens
Capítulo XVIII – Purgatório, o limbo, o culto dos mortos
Capítulo XIX – O único mediador
Capítulo XX – Jejum e abstinência
Capítulo XXI – O Batismo
Capítulo XXII – Mudança de religião
 Conclusão geral

11 comentários:

Tharsis disse...

Muito bom. Embora não se possa concordar com "senão única", fico muito agradecido por mais esse livro do apologeta.

A_Católica disse...

Olá, Tharsis!

Você tem toda razão, apesar desta grande falha o livro é bem interessante!

Saudações!

Clodoveu disse...

Senhores,

sinto-me no dever de objetar: sendo as sagradas escrituras, a Bíblia, filha pródiga da Tradição católica, e baseando-se nesta para ser a base sólida do desenvolvimento intelectivo do homem voltado ao Bem maior, a ressalva de pe. Júlio Maria serve apenas para fundamentar a Sã Doutrina na Tradição, que, por sua vez, tem por base sólida a Pedra Fundamental da Igreja, que é Cristo (sendo São Pedro Seu delegado direto). Ora, não existiu na face da terra ninguém que alcançasse Santo Tomás, e este se fundamentava e recorria, em última instância, às Sagradas Escrituras. Lembrem-se que a nós católicos é proibido a sola scriptura, a livre interpretação, todavia, existe em nossa história dois milênios de desenvolvimento exegético-teológico, o que nos dá, indiretamente, o direito, porque assistidos pelo Espírito Santo, de entender a Bíblia tal como a Tradição nos ensinou, e assim, estarmos seguros de não cometermos enganos. Por fim, vale ressaltar, à luz do que foi escrito por padre Júlio Maria, que três parágrafos antes do "senão", o mesmo se prontificou a se explicar, citando Coríntios, que a letra morta difere do Espírito que vivifica, este dando Sentido àquela, não o contrário. Uma leitura densa como a deste glorioso soldado de Cristo deve ser feita dentro de seu contexto, evitando desvios causados por impressões fulgazes.

Um grande abraço e parabéns pelo excelente trabalho,
Clodoveu.

A_Católica disse...

Olá, Clodoveu!

Excelente comentário que nos alertou para esta falha nossa.
Só tenho a lhe agradecer por todas as suas palavras

Que Nossa Senhora ponha sempre em nossos caminhos pessoas que nos ajudem e alertem para o caminho certo.

Saudações!

Janete CSantos disse...

Amigos,

Estou muito abalada.
Em minha cidade, Manaus, um indivíduo colocou um post totalmente mentiroso sobre a Santa Igreja.
Veja no seguinte link
http://www.emtempo.com.br/opiniao/artigos/3577.html
no artigo sob o título “Igreja e Estado, uma história de controvérsias”.
Por favor, sei que tudo é mentira e que escreve procurando confundir numa estorieta inventada, mas não sei como responder a ele; vós que sois bem mais sábios, peço humildemente que comentem no link e desmascarem este difamador! E divulguem o artigo para que mais possam ir defender a Santa Virtude que a Igreja tem exercido desde o início do cristianismo.
Aqui em Manaus já é tão problemática a questão da Santa Igreja, e esse herege ainda ousa destruir a fé dos que ainda resistem…
Por favor, ajudem-nos!

Em Jesus, Maria e José!
Janete dos Santos

Clodoveu disse...

Minha cara Janete dos Santos,

atendendo a seu pedido, embora fútil, pois as coisas Sagradas estão acima do Estado, conquanto mais acima de um articulista analfabeto, encaminhei a seguinte mensagem ao ignóbil: "Meu caro "O resultado são políticos",

1)em primeiro lugar, já que o senhor fala a públicos, tenha a decência de falar digna e corretamente.

2)Em segundo, a Santa Igreja está acima do Estado, devendo este se curvar a'Aquela e não o contrário.

3)Em terceiro, falta a você o mínimo de conhecimento histórico, pois se houvesse, o senhor saberia que a base daquilo que chama de "justiça" foi fundado por a Santa Inquisição (o direito ao contraditório e à ampla defesa).

4)Em quarto, parece-me que o senhor, como diria Chesterton ("o perigo de não acreditar em Deus não é acreditar em nada, mas em tudo"), resolveu se curvar a uma instituição mundana chamada Estado (ou, pior ainda, a alguma seita herética), ao invés de à Deus e à Sua Santa Instituição, a Igreja Católica.

Conclusão: Pois façamos o seguinte: fique com seu Estado (ou sua seita) sem dias destinados à contemplação da Gloria de Nosso Senhor, que eu fico com a Santa Igreja Católica, afinal de contas, por mais que o senhor queira ser julgado pelo(s) mandatário(s) do poder temporal (seja so estado, seja da seita), sabemos ambos que no Juízo por Jesus Cristo seremos argüidos sobre aquilo que em vida fizemos, de tal sorte que o senhor, enquanto pessoa pública, tem em suas costas uma multidão de sujeitos que está a jogar em precipício (por causa de artiguinhos - ou pregações - bobos como este), enquanto eu, "maldito católico" que sou, apenasmente (como diria o matuto), recolho-me a rezar por nossas almas, a sua e a minha.

Passar bem,
Clodoveu.

ps. Pelo seu próprio bem, aconselho a você que arrume outro emprego (pode ser pedreiro, frentista, chofer, lixeiro ou algo que o valha - pois julgo não ter você mais capacidade para exercer nada além desses serviços, sem, todavia, magoar tais classes de trabalhadores), onde poderá trabalhar dignamente, sem ofender nem à língua português nem a Nosso Senhor."

Um forte abraço e que a força da Fé em Nosso Senhor e em Sua Igreja, a Católica, cristalizada na Tradição, fique sempre contigo,
Clodoveu.

Clodoveu disse...

Um adendo que lá pus:

"Errata:
1. No terceiro item faltou um "o", logo, deveria ficar assim: "pois se o houvesse...";
2. Na conclusão, no parenteses, por erro de digitação, saiu "so", quando deveria ser "do";
3. Ainda na conclusão, faltou uma virgula antes de Nosso Senhor, deveria ficar assim: "que no Juízo, por Jesus...", também utilizei "suas costas" logo mais, porém, o uso não está de todo incorreto ao aplicar-lhe o plural mesmo que referido a apenas um indivíduo: trata-se de expressão corriqueiramente aplicada ("fulano tem as costas lagas" etc);
4. No post-scriptum, alterei o modo de tratamento, de "senhor" para "você", pois estou a lhe dar um conselho, o que requer um mínimo de intimidade linguística, além disso, troquei "ofender o português" por "ofender à língua portuguesa", porém, não ajustei o substantivo masculino para o feminino, logo, fica a correção.
5. Não me venha criticar por tais erros, pois há uma diferença brutal entre um texto publicado por um articulista (que deve passar por revisão) e um simples comentário feito rapidamente por um sujeito ébrio, devido ao álcool presente no almoço dominical.

Passar bem,
Clodoveu."

Janete CSantos disse...

Obrigada, Clodoveu.
Houve algumas respostas boas no site em que esse ímpio expos seu ridículo texto.
Compreendi agora e me sinto reconfortada.
Você tem email, Clodoveu?
Estou aprendendo muito e quero aprender ainda mais para me tornar uma ótima defensora da Santa Fé! Creio que este livro vai me ajudar... mas há questões que com certeza ainda poderão me deixar sem respostas.
Você se prontificaria a respondê-las? assim, no seu tempo...
?
Um abraço!
Janete dos Santos

A_Católica disse...

Se preferirem, para que seus emails não fiquem expostos aqui, posso encaminhá-los sem postar o comentário, basta que os dois deixem seus respectivos emails.

Saudações!

Jean Carlos disse...

Paz e Bem!
Gostei muito deste blog e estou divulgando. Deus abençoe!

A_Católica disse...

Salve Maria, Jean!!

Agradeço a ajuda de divulgação!

Saudações!

Postar um comentário

Qualquer quantia tem grande valor

http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2015/12/qualquer-quantia-tem-grande-valor.html

O SANTO DE AUSCHWITZ

Assim dizia São Maximiliano Kolbe:

"De muito boa vontade oferecemos leituras gratuitas a todos aqueles que não possam oferecer nada para esta obra, mesmo privando-se um pouco."

O que é ser um Benfeitor do Blog?

O que é ser um Benfeitor do Blog?
Clique na Imagem

Agradeço aos amigos virtuais pelo selo

Agradeço aos amigos virtuais pelo selo