12 de agosto de 2011

Pequeno Tratado Prático

Elaborado segundo Santa Teresa, São João da Cruz, Santo Tomás de Aquino e São Francisco de Sales
Pe. Júlio Maria de Lombaerde S.D.N
Livro de 1936

Curto Prefácio
O presente tratado sobre a Contemplação era destinado a servir de introdução às Contemplações evangélicas, sobre a paixão de Jesus Cristo, escritas para o uso dos sacerdotes e das almas religiosas. Entretanto, para não romper a uniformidade dos três volumes, achei preferível publicá-lo separadamente, estando deste modo mais ao alcance de todos, qualquer que seja o assunto habitual de suas meditações ou contemplações.
Não espante ao leitor o título: "Contemplações". São verdadeiras contemplações, não para uso daqueles que Deus já favoreceu com este dom sobrenatural e sublime, mas daqueles que aspiram elevar-se aos píncaros da perfeição.
Os primeiros, de fato, não precisam, ou melhor, precisam menos do auxílio das indústrias humanas, para se unirem a Deus - quem delas precisa, somos nós, que não tivemos ainda a dita de entrever o que o Senhor prepara aos que O amam, mas que temos vontade e desejo de alcançar a perfeição e de nos unirmos a Deus, como sabem fazê-lo os Santos.
Este tratado propõe-se expôr clara e simplesmente o que é a Contemplação e como é que se pode praticá-la.
Para muitos, as considerações que seguem serão uma verdadeira revelação; pois correm, a esse respeito, as mais arraigadas prevenções e os mais desastrosos erros.
Terminamos a parte teórica com uma aplicação prática dos princípios expostos, isto é, com a vida admirável de Santa Teresa do Menino Jesus, mostrando, pela autoridade de sua auto-biografia, que a santa Carmelita percorreu os diversos graus da contemplação.
Esta parte ilumina de um suave esplendor a teoria abstrata da contemplação e lhe comunica vida e prática.
Possa este pequeno tratado juntar-se às obras teológicas dos grandes Mestres para fazer resplandecer a verdade, e mostrar que a contemplação não é um privilégio de umas almas escolhidas, mas o caminho normal e comum da santidade.
E todos nós somos chamados à santidade.
Sancti estote, quia ego sanctus sum! (Lev. XI.44)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O SANTO DE AUSCHWITZ

Assim dizia São Maximiliano Kolbe:

"De muito boa vontade oferecemos leituras gratuitas a todos aqueles que não possam oferecer nada para esta obra, mesmo privando-se um pouco."

Qualquer quantia tem grande valor!

http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2015/12/qualquer-quantia-tem-grande-valor.html

Vocação➡Monja Redentorista

Vocação➡Monja Redentorista
Clique na imagem para obter maiores informações!

Aderindo ao clube através da imagem abaixo você também nos ajuda!

Aderindo ao clube através da imagem abaixo você também nos ajuda!
CLIQUE NA IMAGEM E FAÇA PARTE!