5 de setembro de 2011

Que é o Liberalismo?

Dr. D. Félix Sardá y Salvany
Livro de 1949 - 183 Págs




QUE É O LIBERALISMO?

Ao estudar um objeto qualquer, depois da pergunta an sit? faziam os antigos escolásticos a seguinte: Quid sit? e esta é a de que nos vamos ocupar no presente capítulo.
   O que é o Liberalismo? Na ordem das ideias é um conjunto de ideias falsas; na ordem dos fatos é um conjunto de fatos criminosos, consequência prática daquelas ideias. Na ordem das ideias o Liberalismo é o conjunto do que chamam princípios liberais com as consequências lógicas que deles se derivam. Princípios liberais são: a absoluta soberania do indivíduo com inteira independência de Deus e da sua autoridade; soberania da sociedade com absoluta independência do que não provenha dela mesma; soberania nacional, isto é, o direito do povo para legislar e governar-se com absoluta independência de todo o critério que não seja o da sua própria vontade expressa primeiro pelo sufrágio e depois pela maioria parlamentar; liberdade de pensamento sem limitação alguma em política, em moral ou em religião; liberdade de imprensa, igualmente absoluta ou insuficientemente limitada; liberdade de  associação com igual latitude. Estes são os chamados princípios liberais no seu mais crú radicalismo.
  O fundo comum de todos eles é o racionalismo individual, ou racionalismo político e o racionalismo social. Derivam-se deles a liberdade de cultos mais ou menos limitada; a supremacia do Estado em suas relações com a Igreja; o ensino leigo ou independente sem nenhum laço com a religião; o matrimônio legalizado e sancionado pela intervenção exclusiva do Estado; a sua última palavra, a que abarca tudo e tudo sintetiza, é a palavra secularização, quer dizer, a não intervenção da religião em nenhum ato de vida pública, verdadeiro ateísmo social, que é a última consequência do Liberalismo.
   Na ordem dos fatos o Liberalismo é um conjunto de obras inspiradas por aqueles princípios e reguladas por eles. Como, por exemplo, as leis de desamortização, a expulsão das ordens religiosas; os atentados de todo o gênero oficiais e extra-oficiais, contra a liberdade da Igreja; a corrupção é o erro publicamente autorizado na tribuna, na imprensa, nas diversões, nos costumes; a guerra sistemática ao catolicismo, que apodam com os nomes de clericalismo, teocracia, ultramontanismo, etc., etc.
   É impossível enumerar e classificar os fatos que constituem o proceder prático liberal, pois compreendem desde o ministro e o diplomata, que legislam ou intrigam, até ao demagogo, que perora no clube ou assassina na rua; desde o tratado internacional ou a guerra iníqua que usurpa ao Papa o seu principado temporal, até a mão cobiçosa que roube o dote da religiosa, ou se apodera da a lâmpada do altar; desde o livro profundo e sabichão que se dá como texto na Universidade ou no instituto, até à vil caricatura que regogija os frequentadores de taberna. O liberalismo prático é um mundo completo de máximas, modas, artes, literatura,  diplomacia, leis, maquinações e atropelamentos completamente seus. É o mundo de Lusbel, hoje   disfarçado com aquele nome, e em radical oposição e luta com a  sociedade dos filhos de Deus, que é a Igreja de Jesus Cristo.
Eis aqui, pois, retratado, como doutrina e como prática, o Liberalismo.

[...]

   O liberalismo, seja na ordem doutrinária ou prática, é um pecado. Na ordem doutrinária, é heresia e, consequentemente, um pecado mortal contra a fé. Na ordem prática, é um pecado contra os mandamentos de Deus e da Igreja, pois praticamente transgride todos os mandamentos. Para ser mais preciso: na ordem doutrinal, o liberalismo destrói as próprias fundações da fé, que é uma heresia radical e universal, já que nele estão compreendidas todas as heresias. Na ordem prática, é uma infração radical e universal da lei divina, pois ela sanciona e autoriza todas as infrações dessa lei.
  O liberalismo é uma heresia na ordem doutrinal, pois a heresia é a negação formal e obstinada de todos os dogmas cristãos em geral. Repudia completamente os dogmas e opiniões, mesmo que as opiniões sejam doutrinária ou a negação da doutrina. Por conseguinte, nega toda a doutrina em particular. Se fôssemos analisar em pormenor todas as doutrinas ou dogmas que, dentro da faixa de liberalismo, foram negados, iríamos encontrar todos os dogmas cristãos, de uma forma ou de outra, rejeitados, a partir do dogma da Encarnação ao da Infalibilidade.

7 comentários:

Mateus Alexandre disse...

Não consigo baixar o livro integral.

A_Católica disse...

Salve Maria, Mateus!

Qual foi exatamente o problema que ocorreu?

Mysterious Stranger disse...

Aqui o livro está incompleto.

A_Católica disse...

Salve Maria!

Link retificado! O anterior estava errado.
Agradeço o aviso,

Saudações!

Victor Moreno disse...

Vocês precisam tirar esse arquivo do 4shared. O site está repleto de propagandas (semi-)pornográficas. E não adianta ignorar: logo após o donwload uma janela enorme é aberta automaticamente, com as mesmas propagandas. Parece que o site desabilita o AdBlock.
Armazenem o arquivo em outro lugar.
Aviso-o em atenção ao louvável apostolado de vocês.
Salve Maria!

Alexandria Católica disse...

Salve Maria, Victor!!

Infelizmente, por enqto, dependemos dos porta-arquivos free que possuem estes inconvenientes. Não temos como arcar com as despesas de uma "nuvem".

Rezemos para que Nossa Senhora nos auxilie neste apostolado,

Saudações!

Victor Moreno disse...

Entendo. Que Nossa Senhora os ajude. Se eu vier a poder contribuir financeiramente, o farei.
Obrigado pelo trabalho.

Salve Maria!

Postar um comentário

Qualquer quantia tem grande valor

http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2015/12/qualquer-quantia-tem-grande-valor.html

O SANTO DE AUSCHWITZ

Assim dizia São Maximiliano Kolbe:

"De muito boa vontade oferecemos leituras gratuitas a todos aqueles que não possam oferecer nada para esta obra, mesmo privando-se um pouco."

O que é ser um Benfeitor do Blog?

O que é ser um Benfeitor do Blog?
Clique na Imagem

Agradeço aos amigos virtuais pelo selo

Agradeço aos amigos virtuais pelo selo