01 julho, 2020

Os Tormentos e a Paciência de N. S. Jesus Cristo


Oferecido a Jesus Crucificado 
pelo Pe. Theodoro de Almeida
Edção de 1902 - 278 págs


PRÓLOGO

Tudo este mundo é um vale de lágrimas e de misérias: nascemos chorando, e chorando morremos; e enquanto não acabamos a vida, sempre temos motivos que nos obrigam a chorar.
Por uma parte, se servimos o mundo e as nossas próprias paixões, ordinariamente acontece que, desenganados com repetidos desgostos, entre mil lágrimas e queixas confessamos, que este mundo é um tirano insuportável: então conhecemos por experiência que as nossas paixões são como víboras venenosas, as quais, quanto mais alimentamos no próprio seio, tanto mais ferozes se fazem para nos morderem e para nos introduzirem no coração um insuportável fel de amargura.

Por outra parte, se servimos a Deus, achamos toda a terra como um campo de batalha, e andamos cercados por toda a parte de inimigos, que nos mortificam e perseguem: se queremos fugir-lhes, basta o susto, a fadiga, a aflição para nos fazerem derramar muitas e bem amargosas lágrimas; e se lhes não fugimos, as nossas lastimosas feridas nos dão motivo para derramar lágrimas de sangue. Por onde, os que vivem aflitos são quase tantos como os que povoam a terra. Sendo logo preciso dar algum remédio a um mal, que é comum, não achei outro mais suave, mais eficaz e mais pronto do que a meditação dos tormentos e aflições de Jesus Cristo; porque as Chagas do Senhor Jesus verdadeiramente são um tesouro de paciência. Portanto, a alma que se vê falta desta virtude, e desejosa de a conseguir, não tem que andar mendigando por outras partes: entre por meio da consideração neste grande e inexaurível Tesouro, e dele tirará riquezas imensas.
Entre com vagar meditando uma ou duas vezes no dia os tormentos e paciência do Senhor; e entre também de passagem, mas com grande frequência, pelo decurso do dia, ao menos com a lembrança do seu sofrimento, e conhecerá maravilhosa mudança no seu coração. O Real Profeta dizia: No dia da minha tribulação busquei a Deus: pus-me de noite com as mãos levantadas defronte do Senhor, e não me enganei: a minha alma recusava toda a consolação, mas lembrei-me de Deus, e fiquei consolado. (Ps. 76, 3) E se este efeito faz o pôr-se uma alma orando simplesmente defronte de Deus, que será defronte de Deus crucificado, aflito, cheio de sangue e de opróbrios? De Deus, que morreu por nos consolar, e que, por poder enxugar na Bem-aventurança (como prometeu) as nossas lágrimas, quis derramar as suas. Portanto, valham se todos os aflitos deste remédio, e para isso se lhes propõem especiais meditações, e, no fim de cada uma, sua conveniente jaculatória, para no decurso do dia avivar a lembrança da Paixão do Senhor e o fruto que se tirou na oração. 
Divide-se toda a Paixão em sete Passos principais, que na Quaresma podem servir para as sete semanas, e fora dela para os sete dias de toda semana. Cada Passo tem sete meditações, que, juntas, chegam para toda a Quaresma; mas no outro tempo poderá a alma escolher de cada Passo só uma para o dia da semana correspondentes à ordem dos Passos do Senhor, começando pelo Horto, no domingo.
ÍNDICE
Dedicatória a Jesus crucificado
Prólogo
Primeiro passo — Da oração no Horto
Segundo passo — Da prisão do Senhor
Terceiro passo — Dos açoites do Senhor
Quarto passo — Da coroação de espinhos
Quinto passo — Do Senhor com a cruz aos ombros
Sexto passo — Da crucifixão do Senhor
Sétimo passo —Do Senhor morto
Solilóquios da alma aflita diante de Deus
I — Gemidos da alma aflita submergida no mar de amargura
II — Esperança do auxílio de Deus no meio da tribulação
III — Entrega da alma aflita nos braços da Divina Providencia
IV — Favo de mel escondido na arvore da cruz
V — Compra do reino dos céus com a moeda da cruz
VI — Cântico de louvor de Deus no meio do fogo da tribulação
VII — Sacrifício do coração ferido sobre o altar da cruz
VIII — Troféu de grandes vitórias na arvore da nossa cruz
IX — Invocação do auxílio de Deus no meio da tribulação
X — Descanso da alma aflita debaixo da proteção divina
XI — Lamentação da alma aflita diante de seu Deus
XII—Fugida da alma perseguida para as Chagas de Jesus Cristo
Obséquio às cinco Chagas de Jesus Cristo
Obséquio às quatro Chagas que no seu Corpo Sacratíssimo se abriram antes da crucifixão
Orações e devoções diversas:
Orações para de manhã
Orações para durante o dia
Orações para a noite
Dia prático
Em recordação da agonia e morte de Jesus
Método para ouvir missa
Preces para depois das missas rezadas
Método para a Confissão e Comunhão
Exame de consciência
Exame geral para toda a classe de pessoas
Exame sobre os deveres de cada estado
Atos que se devem fazer antes da Comunhão
Atos para depois da Comunhão
Mistérios do Rosário
Aos que sofrem
Relógio da paixão de Jesus Cristo
Suspiros ao dulcíssimo nome de Jesus
Suspiros ao Santíssimo nome de Maria
Cinco visitas a Jesus sacramentado  
Quinze minutos em companhia de Jesus Sacramentado
Um quarto de hora aos pés do crucifixo
Conforto na tribulação
Aspirações devotas a Jesus Crucificado
Piedosa e tocante súplica ao Coração de Jesus

2 comentários:

Unknown disse...

De facto estou amando estar aqui

Alexandria Católica disse...

Agradeço suas palavras e não deixe de nos ajudar para que mais obras raras possam ser postadas,

Saudações!

Postar um comentário

O SANTO DE AUSCHWITZ

Assim dizia São Maximiliano Kolbe:

"De muito boa vontade oferecemos leituras gratuitas a todos aqueles que não possam oferecer nada para esta obra, mesmo privando-se um pouco."

Qualquer quantia tem grande valor!

http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2015/12/qualquer-quantia-tem-grande-valor.html

VOCAÇÃO ➡ Quer ser MONJA REDENTORISTA? Clique no Banner para mais informações

Tipos Psicológicos

Obras Raras DO BLOG sendo reeditadas *Livraria Caritatem*