14 dezembro, 2020

À Mocidade ➜ Sobre a Castidade

 
 
Dr. Irineu Torres de Vasconcellos
Edição de 1925 - 99 págs

“0 tumulto me desorienta; eu não quero enxovalhar meu vestuário com a lama das ruas; quero em trajes de gala imaculados esperar o dia do porvir...”

Henrik Ibsen

"Em 1919, era solteiro, contava vinte e cinco anos de idade, quando, com coragem e desassombro, defendi a tese da “Possibilidade e Dever da Castidade antes do Matrimônio” , sendo aprovado com distinção.

Logo depois viu a luz da publicação meu humilde trabalho sob o título “Devemos e Podemos Guardar Castidade antes do Matrimônio”.

Poucos meses após, esgotada a 1ª edição, anunciei uma 2ª edição “Pró Famintos do Ceará.” De tal maneira espalhou-se minha obrinha que, posso dizer, não há cidade do Brasil que não a conheça: choveram pedidos de quase todos os centros populosos de nosso amado País.

Meu intento é, com este humilde trabalho, contribuir, na medida das minhas forças, para o levantamento moral de muitos moços bons que trilham a lama dourada do caminho vulgar, só porque não encontraram ainda um outro moço amigo, que lhes mostrasse e os convidasse a caminhar por uma estrada, isolada da primeira e muitíssimo mais elevada, que, parecendo semeada de agudíssimos espinhos, quando olhada de longe, verifica-se ser "coberta de macias e odoríficas pétalas de rosas, quando, com ânimo e valor, dão-se nela os primeiros passos.

Uma é a vida do deboche, da prostituição física e moral, a outra, a minha predileta, é a vida consagrada ao cumprimento de todos os deveres, a vida ativa e valente que nos faz mais dignos de nossa Mãe amada e mais semelhantes às nossas honestíssimas irmãs, preparando-nos a ser um dia esposo exemplar e pai modelo.

Para isso, para conseguir o meu fim, eu não fiz mais que coordenar como melhor me pareceu, as ideias dispersas dos autores que sobre tão importante problema consultei; minhas palavras não serão mais que o eco benfazejo e redentor de suas respostas e conselhos.

Rogo-te, mocidade de minha Pátria, me prestes animadora atenção para o nosso comum aproveitamento.

Se aceitares lealmente meu amistoso convite, lucraremos nós, lucrarão os nossos filhos e os filhos de nossos filhos."

Dr. Irineu Torres de Vasconcellos


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O SANTO DE AUSCHWITZ

Assim dizia São Maximiliano Kolbe:

"De muito boa vontade oferecemos leituras gratuitas a todos aqueles que não possam oferecer nada para esta obra, mesmo privando-se um pouco."

Qualquer quantia tem grande valor!

http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2015/12/qualquer-quantia-tem-grande-valor.html

VOCAÇÃO ➡ Quer ser MONJA REDENTORISTA? Clique no Banner para mais informações

Tipos Psicológicos

Obras Raras DO BLOG sendo reeditadas *Livraria Caritatem*